Home Corpo Clínico Busca Trabalhe Conosco Localização Santa Rosa

- Assessoria de imprensa

- Checkup Executivos

- Corpo Clínico

- Convênios

- Emergência

- Ensino e Pesquisas

- Especialidades

- Eventos

- Farmácia

- Gerenciamento de Risco

- Hospital

- Hotelaria

- Internação

- Intranet

- Localização

- Maternidade Virtual

- Missão / Visão / Valores

- Newsletter

- Nutrição

- Ouvidoria

- PGRSS

- Qualidade

- RH

- Santa Rosa Tower

- Serviços

- Telefones

- Tour Virtual

Estou interessado em:
Calcule seu IMC
Peso: Kg
Altura: m
 
 
  
Busca de notícias:  
07/12/2011
O que acontece quando temos problemas com as pernas
Imprimir Enviar para um amigo Tamanho da fonte
Fonte: Amo Minhas Pernas
 

Existe uma variedade de queixas comuns relativas às pernas, como pernas pesadas, cansadas, doloridas e inchadas, sensação de formigamento ou cãibras na panturrilha que são desencadeadas por problemas nas veias das pernas.
Sintomas

Os sintomas mais comuns que as mulheres com problemas nas pernas
têm são o peso, o cansaço, o inchaço e dores. Esses problemas podem ser perturbadores e podem impedir as mulheres de serem ativas e aproveitarem a vida por completo.

Os problemas comuns das pernas incluem:

Peso, cansaço das pernas: sensação de que você não consegue dar outro passo e uma necessidade urgente de sentar-se para descansar.

Dores nas pernas: sensação de dor que pode ser percebida de dentro e fora da perna.

Inchaço nas pernas: quando suas pernas estão visivelmente mais inchadas, ou com diâmetro maior do que o normal.

Veias varicosas (ou varizes) visíveis: Quando suas veias estão dilatadas, elas freqüentemente causam inchaço e parecem azuis, salientes, tortuosas e visíveis através da pele (ligado aos distúrbios venosos das pernas).

Sensação de formigamento nas pernas: a sensação de inquietação e coceira dentro das pernas.

Cãibras na panturrilha: são espasmos dos músculos de suas pernas que ocorrem frequentemente à noite e podem ser muito dolorosos.

Síndrome das Pernas Inquietas (SPI): frequentemente combinada com uma sensação de formigamento nas pernas. As pernas inquietas podem ser muito perturbadoras, especialmente quando você fica sentado ou em pé por longos períodos de tempo, ou ainda na hora de dormir.

Articulações doloridas: tanto os joelhos como os tornozelos podem doer ao ficar em pé ou ao se movimentar ou quando tocados.

Retenção de líquido: Com uma aparência mais inchada do que o normal, você pode, às vezes, sentir o excesso de líquido acumulado em suas pernas.

Fatores relacionados ao estilo de vida podem exercer uma influência significativa sobre a saúde de suas pernas.

Observação: Caso os seus problemas nas pernas persistirem ou piorarem, consulte seu médico.

Quando temos problemas
nas pernas?

Pequenos problemas nas pernas, como dores musculares, cortes e ferimentos ocorrem usualmente durante a prática de esportes, no trabalho ou atividades de lazer. Mas assim como esses problemas apresentam causas simples de identificar, existe uma série de outros que são muito presentes, mas muito menos óbvios. Dores nas pernas, pernas pesadas, inchadas, cansadas, formigamento, pequenos vasos e varizes são questões muito comuns e podem ser desencadeados por problemas de circulação venosa. Além disso, a retenção de líquido e dores nas articulações também podem levar a queixas relacionadas às pernas.

Questões comuns relacionadas às pernas ocorrem como resultado de um volume excessivo de sangue nas veias das pernas e do acúmulo excessivo de líquido dentro dos tecidos. O distúrbio venoso mais comum é a ocorrência de veias varicosas ou varizes. A palavra "varicosa" significa "inchada" e caracteriza a forma mais comum das veias superficiais. Essas "veias varicosas" são o resultado da dilatação e saliência de uma veia normal no sistema venoso superficial.

Se uma veia varicosa se desenvolve por causa de um defeito das válvulas venosas que não se fecham adequadamente ou se é causada pelo aumento da fragilidade e da permeabilidade dos capilares resultando no distúrbio da circulação sanguínea, ainda não está claro. Uma coisa é certa: a veia não está funcionando corretamente e o sangue, seguindo a lei da gravidade, é capaz de se acumular nas pernas de forma que as paredes das veias se expandam cada vez mais.

Ao ficar em pé, a bomba muscular não é ativada, o que torna difícil para o sangue ser transportado de volta para o coração, resultando no acúmulo de sangue nas veias das pernas. Quando sentado, as veias estão dobradas no joelho e na região pélvica e o fluxo sanguíneo de volta para o coração fica restrito. Isso pode resultar no inchaço, peso e dor nas pernas. Isso também pode causar cãibras na panturrilha ou formigamento nas pernas, além de sintomas visíveis como veias varicosas, telangectasias (vasinhos vermelhos ou azulados) e inchaços.

Fatores do estilo de vida

O corpo humano foi desenhado originalmente para um estilo de vida ativo, para caçar, pescar e viver em comunidade/atividade. Hoje em dia, levamos uma vida muito mais sedentária, passando muito mais tempo sentados no trânsito, olhando para uma tela de computador ou ficando em filas. Não é de se estranhar que nossas pernas comecem a sofrer com dor, inchaço, cansaço, peso ou dores nas articulações, retenção de líquido e cãibras.

Ao compreendermos os fatores de risco associados com problemas comuns relacionados às pernas, e fazermos algumas mudanças em nosso estilo de vida, podemos acabar com os sintomas das dores nas pernas. Os problemas comuns relacionados às pernas podem ser desencadeados por fatores relativos ao estilo de vida.

Dieta
Por causa de uma vida atarefada é muito comum preparar uma refeição comprada, pronta no forno de microondas ou comer um lanche. O problema é que os alimentos convenientes frequentemente contêm muita gordura, muito sal e muito pouca fibra, o que pode afetar suas pernas.

Ao fazermos algumas mudanças em nossa dieta, podemos promover uma grande diferença para nossa saúde e, consequentemente, para nossas pernas.

Gravidez e problemas nas pernas

A gravidez é uma época excitante, com o corpo trabalhando excessivamente para preparar tanto a mãe como o bebê para o nascimento. Problemas nas pernas são experimentados por 30% das mulheres durante a fase inicial da gravidez e por até 70% das mulheres na fase final.

O que acontece durante a gravidez?

Durante a gravidez, as veias têm que transportar aproximadamente 20% a mais de sangue pelo corpo – equivalente a um litro extra – com a circulação e os vasos sanguíneos estando sob um esforço extra durante os nove meses de gravidez. As mudanças hormonais durante a gravidez podem fazer com que as paredes das veias fiquem mais elásticas e mais moles resultando em acúmulo de sangue nas pernas.

À medida que a gravidez avança, o crescimento do útero pressiona as veias na região pélvica dificultando o fluxo de sangue venoso de volta para o coração. A congestão sanguínea aumenta e o risco de ocorrência de veias varicosas também aumenta porque o sistema venoso está sob pressão extrema.

O que você pode fazer pelas suas pernas?

Você pode diminuir o risco de desenvolver veias varicosas utilizando meias elásticas de compressão sob orientação médica durante o dia, colocando seus pés para cima com frequência e pedindo ao seu(sua) companheiro(a) ou um(a) amigo(a) para massagear as pernas. Você também deve ingerir alimentos ricos em potássio como as bananas. No entanto, o remédio mais eficaz é o exercício, que pode se traduzir em etapas simples que você pode fazer enquanto estiver sentada.

Assim como acontece com todos os medicamentos, consulte seu médico antes de iniciar um tratamento com produtos para as veias das pernas durante a gravidez ou enquanto estiver amamentando.

Diabetes e problemas nas pernas

Problemas nas pernas e nos pés podem surgir em pessoas com diabetes devido às alterações nos vasos sanguíneos e nervos nessas áreas.

Os vasos sanguíneos podem se tornar estreitos por causa de depósitos de gordura, que reduzem o suprimento de sangue para as pernas e pés.

O diabetes também pode prejudicar a sensibilidade dos nervos, de forma que uma pessoa pode ou não observar um ferimento causado pelo uso de calçados apertados ou pela pressão ao caminhar. Se ignorado, o ferimento pode infeccionar e demorar mais para cicatrizar.

O cuidado apropriado com os pés e visitas regulares a um médico são essenciais para pessoas com diabetes a fim de garantir que quaisquer questões sejam tratadas rapida e eficazmente.

Cuidado com suas pernas

Você precisa começar a cuidar de suas pernas o mais rapidamente possível para prevenir ou significativamente retardar muitos problemas. Verifique suas pernas e pés diariamente quanto a qualquer mudança e notifique seu médico sobre quaisquer anormalidades, utilize meias de compressão recomendadas pelo médico e, frequentemente, coloque suas pernas em posição elevada a fim de auxiliar o fluxo sanguíneo. Novamente, o exercício é a melhor solução.

Consulte, também, o seu médico antes de tomar qualquer medicação para tratar as veias das pernas.

Medicamentos e problemas
nas pernas

Alguns medicamentos, combinados com um estilo de vida não-saudável, podem causar problemas nas pernas. Por exemplo, pílulas anticoncepcionais e outros hormônios podem aumentar o seu risco de desenvolver coágulos sanguíneos, enquanto diuréticos, medicamentos para o coração e algumas medicações para diminuir o colesterol podem causar cãibras musculares. Caso você tenha qualquer dúvida sobre sua medicação e a saúde de suas pernas, é essencial que você consulte seu médico antes de fazer qualquer mudança.

Valorize a saúde de suas pernas

Entretanto, a chave para uma boa saúde das pernas é a circulação, que é estimulada pelo exercício, elevando suas pernas e, também, tendo uma boa dieta.

Consulte, também, o seu médico antes de tomar qualquer medicação para tratar as veias das pernas.

Distúrbios venosos

Muitos problemas relacionados às pernas como dor, inchaço, peso e cansaço ou, também, veias varicosas, cãibras (noturnas) na panturrilha e formigamento podem ser causados por distúrbios venosos.

Veias varicosas ( ou varizes ) – O distúrbio venoso mais comum é a veia varicosa. A palavra “varicosa” significa “inchada”. Esses vasos sanguíneos azulados são o resultado da dilatação e saliência de uma veia normal no sistema venoso superficial. Os fatores a seguir podem fazer com que as veias dilatem:

Paredes dos vasos finas distantes dos músculos;
Alta pressão repentina, devido a um espirro, tosse, aperto ou tensão;
Ausência de suporte do tecido conjuntivo adjacente.
Insuficiência venosa crônica (IVC) – Insuficiência venosa crônica (ou veias enfraquecidas) é de longe a causa mais comum de distúrbios nas pernas. Na IVC, o retorno do sangue das pernas está cronicamente deteriorado. Nesse caso, as válvulas venosas não se fecham mais adequadamente, o sangue não flui mais para o coração como deveria, mas permanece nas pernas, e não é mais reintroduzido no sistema circulatório pela bomba muscular. Os sintomas típicos da IVC são o cansaço, o peso, o inchaços nas pernas, cãibras noturnas nas pernas e uma sensação de tensão e dor nas pernas.

Inchaço – Deterioração da drenagem de sangue das veias das pernas, inicialmente manifestada na forma de inchaços nas pernas, principalmente inchaço nos tornozelos. Esse edema (palavra originada do latim para inchaço) ocorre porque os líquidos são coletados nos tecidos e se infiltram na pele. A princípio, somente os tornozelos são afetados, então, posteriormente, toda a perna. No início, é possível reduzir o inchaço colocando as pernas em posição elevada ou reclinando-as durante a noite. Em estágios posteriores, a circulação sanguínea venosa pode se tornar tão severamente deteriorada que o sangue realmente se acumula nas pernas e a congestão e o inchaço param de diminuir durante a noite.

Síndrome de pernas inquietas (SPI)

A síndrome das pernas inquietas (SPI) é mais comum durante a meia idade e em idosos. O mecanismo não é claro, mas pode envolver distúrbios no sistema nervoso central. Na SPI, os pacientes reclamam de uma sensação desagradável (queimação, formigamento) nas pernas, associada a uma necessidade urgente de movimentar-se, quando em repouso.

Para aliviar os sintomas, os que sofrem deste problema movimentam a extremidade afetada alongando, “chutando” ou caminhando. Como resultado, eles têm dificuldade para dormir, acordam repetidamente à noite, ou ambos; além de sentir cansaço e sonolência e dificuldade de concentração durante o dia, afetando a vida profissional e social.

Consulte o seu médico caso precise de mais informações.
 
 
    Voltar | [ Índice de Notícias ]
Twitter Orkut